Atualmente, as empresas estão cada vez mais no negócio de aplicar conhecimento para resolver problemas complexos. Como resultado, os executivos de todos os setores confiam muito no intelecto de seus funcionários e nos processos estabelecidos que conduzem seus negócios.

 

Embora isso exija uma força de trabalho altamente qualificada, também oferece às empresas a oportunidade de identificar e adotar as melhores práticas, institucionalizar o conhecimento associado e difundir amplamente esse conteúdo para promover o sucesso da organização de forma holística. Ao fazer isso, também reduz a dependência de contribuintes individuais.

 

Para atingir esse objetivo, as empresas devem pensar estrategicamente sobre como capturam, avaliam, distribuem e mantêm seu conteúdo mais valioso. A maneira como eles fazem isso define sua estratégia de gestão do conhecimento.

 

Embora a gestão do conhecimento seja um conceito predominante nos negócios há décadas, entender como defini-la e sua relevância para a sua empresa pode ser um desafio. Para ajudar a esclarecer as coisas, precisamos de alguns conceitos.

 

O que nós consideramos conhecimento?

 

Para entender esse conceito, devemos separar conhecimento do conteúdo operacional mais amplo. Simplificando, conhecimento é o conteúdo desenvolvido para uma intenção específica de referência futura para um público. Esse conteúdo deve oferecer insights sintetizados e facilmente referenciados e deve ser escrito com um caso de uso específico em mente.

 

Um programa que armazena os documentos de trabalho ou contratos históricos de um grupo de negócios, por exemplo, não seria considerado conhecimento em um contexto de gestão do conhecimento. Isso porque esse conteúdo é escrito para um fim de negócio específico e não para orientação operacional ou para promover o desenvolvimento de um indivíduo ou equipe. Instruções para executar um processo específico ou modelos de design, por outro lado, se encaixam bem na definição da gestão do conhecimento.

 

O que é gestão do conhecimento?

 

A gestão do conhecimento surgiu como uma área de foco nos anos 80, com o advento da internet, e evoluiu desde então. Um dos primeiros defensores, Tom Davenport, definiu a gestão do conhecimento como “o processo de capturar, distribuir e usar efetivamente o conhecimento”.

 

A definição de hoje se ampliou e incluiu a avaliação cuidadosa do conteúdo capturado, o posicionamento e armazenamento do conteúdo e a manutenção contínua de materiais armazenados. Com ferramentas de grande porte facilitadas pela big data, as empresas puderam compilar seus valiosos bancos de dados, documentos, políticas e procedimentos para desenvolver painéis, localizadores especializados, comunidades, diretórios, equipes de resposta, bibliotecas e mecanismos internos de busca.

 

Por que isso importa para o meu negócio?

 

Com uma estratégia definida e mantida, as empresas podem criar linhas de comunicação abertas e significativas e distribuir esse conteúdo amplamente para seus funcionários. Essa é uma capacidade crítica quando as organizações incorporam novos funcionários, lidam com as sucessões de funções e criam práticas consistentes em toda a organização.

 

O ecossistema de recursos que você cria define a estratégia de gestão de conhecimento. Essa estratégia deve ser profundamente informada pelos funcionários da linha de frente que a usarão.

 

Em algum momento, esse conteúdo é a única maneira de garantir a continuidade dos negócios diante de mudanças e desafios. A estratégia de gestão do conhecimento é o que mantém o conteúdo organizado, acessível e bem comunicado por toda a organização.

 

Gestão do conhecimento e os métodos ágeis

 

Os métodos ágeis são grandes facilitadores da gestão do conhecimento. Apesar de parecer o contrário, a partir deles é possível acompanhar, dentro de períodos determinados, os processos de cada equipe e indivíduo de forma analítica e contínua.

 

As metodologias ágeis nasceram com o desenvolvimento de projetos de software, quando a complexidade das ações foi aumentando, sendo necessário desenhar fluxos de trabalho para a organização.

Essas alternativas de gestão de projetos servem para desenhar ações, reconhecer imprevistos, incentivar o trabalho em equipe e a comunicação. São como algoritmos que definem como as coisas serão feitas dentro do projeto, designando tarefas e movimentando projetos complexos. Ou seja, facilitam amplamente a gestão do conhecimento.

 

Quer se familiarizar com as metodologias ágeis? Conheça o curso de Gestão de Projetos com SCRUM e Legos da Mastertech para começar a entender essas práticas e aplicar na sua empresa. É só clicar aqui para entender como você pode aprender de métodos ágeis brincando.

 

Gestão do conhecimento: o que é e qual sua importância nas empresas?
Avalie esse post
Você pode também gostar