Quando se tem apenas três pessoas gerenciando uma empresa, que se dividem entre administrativo, financeiro, tecnologia, onde fica o marketing? Como saber pesar todas as áreas e definir responsabilidades?

 

marketing para startups

Se dá pra transformar em dois, imagina com tudo isso de gente!

 

Nas startups, especialmente em seu começo, os recursos são escassos, equipe e orçamento parecem não ser necessários e a necessidade de estabelecer prioridades pesa. Nessa bagunça, muitas empresas acabam ou deixando o marketing de lado, ou consumindo todo o tempo e dinheiro para fortalecer a imagem da empresa.

 

O jeito é usar truques para alcançar os melhores resultados no menor tempo possível. Para isso nasceu o growth hacker marketing. O marketing para startups ainda está amadurecendo, mas algumas características já aparecem como necessárias para a qualidade das primeiras ações. Como se comporta o marketing para startups?

 

Age em um nicho específico

 

Falar em startup já remete à uma empresa com um objetivo bastante determinado, que atua em função de uma solução para um público específico. Isso significa que seu marketing também precisa ter um alvo bem definido e agir em cima dele.

 

Estabelecer um nicho e público para atingir é o jeito mais rápido de conseguir resultados satisfatórios. Isso porque é possível pesquisar exatamente o que ele está procurando, quais são suas necessidades e de que forma elas têm sido supridas até o momento para começar a fazer melhor.

 

Tem base em métricas e dados reais

 

Nessas horas, de nada adianta a intuição. Tem que ter tudo ali, na cara, em números e análises para provar de onde estão saindo suas ações. Trabalhar com tecnologias já faz parte da cultura de startup e a coleta de dados vem aliada à isso.

 

Usar ferramentas para entender o que está acontecendo no mercado em que atua é essencial para empresas que precisam de um desenvolvimento contínuo. Só é possível fazer direito quando se tem noção das consequências do que já foi feito.

 

Avalia e testa com frequência

 

Uma das mais importantes características do growth hacking é o teste contínuo. Com métricas específicas e o entendimento do que funciona e o que não funciona, fica mais fácil determinar os próximos passos para testar novamente.

 

Quem fica estagnado em uma só estratégia de marketing raramente consegue bons resultados. O interessante na disrupção é sair do óbvio e tentar aquilo que poucas pessoas conhecem ou viram, da forma que cabe melhor para seu modelo de negócio.

 

É digital

 

Marketing digital, google analytics, SEO, palavras-chave, marketing de conteúdo, site, blog, redes sociais, links, tráfego orgânico. Essas e muitas outras palavras precisam fazer parte do cotidiano do marketing para startups.

 

Não dá para ser uma empresa baseada em tecnologia sem usar o potencial do meio digital para apresentar sua marca e engajar seu público. Estar presente nos canais certos, do jeito certo, será o primeiro passo (e o mais barato) para mostrar quem é sua empresa.

 

Age rapidamente através da inovação!

 

Fazer agora é melhor do que passar muito tempo planejando. Esse é o lema do growth hacker que deseja resultados. A velocidade é intrínseca das startups e move todos os setores de atuação.

 

Surgiu uma nova oportunidade? Agarre antes que o timing passe e você seja só mais um seguindo o fluxo. O óbvio precisa ser dito: atuar em uma startup é inovar. Uma mente rápida e curiosa encontra a chance de fazer algo novo em cada canto.

 

5 características do marketing para startups
Avalie esse post
Você pode também gostar