Desenvolvemos uma jornada de Design Thinking para criar aplicativos mais rapidamente. Nos últimos anos, essa metodologia já ajudou a criar mais de 400 aplicativos que resolvem problemas reais. Vou explicá-la passo a passo nesse post, com dicas práticas de como você pode usar esse método em seus projetos. Os exemplos são focados em soluções tecnológicas, mas o método é flexível e você pode utilizá-lo para construir outras soluções, produtos e até mesmo em projetos pessoais.

Você vai precisar de post-its, papel, canetas e música. Se não tiver post-it, pode usar sulfite, guardanapo, o que tiver, se puder escrever nele, está valendo. A música quanto mais animada, melhor. Dá play na música e fica de pé, dessa forma a energia flui melhor, as ideias também.

 

 

Cada etapa tem um tempo determinado, então já prepara o cronômetro e segue o indicado. Pode parecer pouco deixar apenas 12 minutos para brainstorming, por exemplo, mas os seres humanos têm percepção elástica do tempo, então se você tiver 30 minutos para fazer a atividade, terá os mesmos resultados do que se tivesse menos tempo. A verdade é que nós nos adaptamos, se você quiser aumentar o tempo, provavelmente vai passar mais minutos sem falar nada, pensando, se distraindo, e sua produtividade consequentemente será mais baixa. Confia que o processo todo já foi testado em vários projetos e aprimorado até chegar nesse passo a passo.

 

imersivo-mastertech

 

Pra começar, forme um grupo com pessoas bem diferentes de você. O ideal é juntar de três a cinco pessoas, mas você pode adaptar como for melhor para o seu contexto. Se você já tem um grupo, seja um amigo com quem quer criar aquele aplicativo revolucionário ou mesmo colegas de equipe na empresa em que trabalha, pronto!!

É importante ter pessoas de diferentes formações para que cada um contribua com sua experiência, trazendo diferentes visões sobre o tema. Você pode convidar pessoas de fora para participar da dinâmica, como aquele conhecido que trabalha no ramo próximo ao tema que você quer resolver.

Grupo formado, é hora de decidir um tema:

 

1 – Tema

3 minutos

Se você já tem uma solução em mente, escreva ela em um post-it, guarde no bolso e esqueça dela por enquanto. Dê um passo para trás e defina o problema que você quer resolver. Aqui pode ser algo mais genérico, como acessibilidade, educação, turismo, mobilidade urbana, entre infinitos outros. Pode ser o problema por trás daquela solução que você quer desenvolver, o que importa é não pensar na solução em si. Guarda a solução no bolso, depois você pensa nela. Confia.

Por exemplo, imagina que eu e um amigo viemos de outra cidade para ir ao Lollapalooza, mas não conseguimos encontrar informações precisas de como chegar no local. Em meio a uma conversa, tivemos a ideia genial de fazer um aplicativo para festivais de música. Empolgados já pensamos em centralizar todas as informações de todos os festivais do mundo e criar uma comunidade de pessoas que curtam os mesmos estilos musicais.

BEST IDEA EVER!!

 

 

Para desenvolver a ideia, chamamos um amigo mais velho que já foi em vários festivais e um primo mais novo que foi no primeiro show semana passada. Antes de começar, escrevemos nossa ideia em um post-it e guardamos no bolso. Não pensamos mais nela. Conversamos e definimos que o problema que queremos resolver é a dificuldade em se locomover para shows e festivais.

design-thinking

Tema definido, escrevemos no post-it e passamos para o próximo passo:

 

2 – Tarefas a Fazer

10 minutos

Esse é o momento de identificar as personas envolvidas com o tema escolhido. Personas não são necessariamente pessoas, podem ser também instituições, empresas, organizações, etc. Pegue os post-its e em cada um escreva uma persona.

Seguindo o exemplo, nosso grupo poderia elencar: empresa produtora do show, fãs, os pais de quem vai ao show, funcionários do evento, agência que faz a divulgação, empresa de transporte público, motorista de Uber, taxista, entre outros.

 

design-thinking

 

Depois de definir as personas, pense em quais atividades essas personas precisam fazer, anote em post-its e cole próximo a cada persona. Quanto mais frequente for cada uma dessas atividades, mais relevante será sua solução. Mas lembre: AINDA NÃO É A SOLUÇÃO, são apenas as personas envolvidas com seu tema e quais atividades/tarefas elas realizam.

No meu exemplo, a empresa produtora do show escolhe o local, planeja o evento e contrata fornecedores. Os fãs planejam sua viagem, procuram informações, buscam caravanas, vão até o local, bebem, assistem aos shows, voltam para casa, vão para outros lugares com os amigos… Os pais de quem vai ao show geralmente ficam preocupados, dão carona até o local, buscam quando acaba o show. A empresa de transporte público leva os fãs de um lugar a outro, e assim por diante.

design-thinking-tarefas

Vocês têm dez minutos para fazer isso. Com personas e tarefas definidas, é hora de fazer o brainstorming. 🙂

 

2 – Brainstorming

12 minutos

Olhando para as personas e cada uma de suas atividades, é hora de gerar o máximo de ideias possíveis. Aposte na quantidade! Depois o grupo vai selecioná-las, o que importa agora é trazer muitas ideias na mesa. Tire sua ideia do bolso e pense em muitas outras diferentes. Quanto mais maluca a ideia, melhor. Não julgue as ideias dos outros, construa em cima delas. Viaje! Assuma que não há limites técnicos, financeiros, científicos, vá longe mesmo. Quanto mais maluca a ideia, melhor.

 

 

Quando aparecer um vazio, foque em outra persona e pense como solucionar o problema com base nas atividades que ela realiza. Uma última dica: evite conversas paralelas, todo o grupo deve estar junto. Se algumas pessoas se distraírem em conversas separadas, pode haver co-construção de soluções finais. O foco aqui não é qualidade e profundidade, é quantidade. Por isso, canetas na mão e cada ideia em um post-it.

Voltando ao exemplo, uma ideia pode ser um site com um mapa colaborativo com os próximos festivais que vão acontecer e as rotas para chegar em cada um deles. Outra um app para o festival que oferece um planejamento da experiência completa do fã, desde a vinda para a cidade, deslocamento até o local do show com desconto para os apps mais usados (Uber, 99Táxis, etc), agenda de shows, etc. Ou um app de carona para shows, em que aqueles que vão de carro dividem o carro com aqueles que não têm como ir e assim por diante…

 

design-thinking-brainstorming

 

3- Seleção

4 minutos, música tranquila

Agora que vocês já tiveram várias ideias, precisam selecionar qual solução desenvolverão até o fim. O método é simples: cada pessoa tem três votos e pode distribuí-los pelas ideias como preferir. Cada um pega uma caneta e, em silêncio, desenha bolinhas nos post-its, cada bolinha representa um voto. A pessoa pode colocar duas bolinhas em uma ideia e uma bolinha em outra, também pode desenhar três em uma só, uma em cada ideia diferente, pode distribuir os seus 3 votos como quiser.

Esse é o único momento silencioso de toda a dinâmica de Design Thinking, até a música pode ser mais tranquila. Aqui cada um pensará na viabilidade, qual ideia é melhor, qual vai realmente solucionar o problema, o que terá mais usuários e assim por diante. Quando todos tiverem distribuído seus votos, a ideia mais votada é a escolhida. Sem choro, nem discussões: a ideia mais votada vence e segue para a prototipação.

design-thinking

4- Prototipação

20 minutos

Protótipo nada mais é que a versão mais simples do seu produto, um esboço. Pegue um papel e uma caneta de ponta grossa e faça um rascunho das telas do seu aplicativo ou site. Conversem bastante no grupo, troquem a caneta entre si para que todos participem e tragam ideias de como as funcionalidades estarão nas telas. Se for outro produto, utilizem materiais simples para fazer um esboço do que será a sua solução.

O importante é focar na estrutura e no fluxo do usuário, não nos detalhes. O protótipo não precisa ser bonito, deve ser um rascunho rápido e básico. Não esperem criar algo perfeito de primeira, longe disso, coloquem as ideias no papel sem pensar em cores, se o botão será redondo ou quadrado, ou em qualquer outro detalhe.

Rascunho feito, vocês podem utilizar um aplicativo chamado POP para tornar o protótipo navegável. É só baixar o app, nele você pode tirar fotos de cada uma das telas e fazer links entre elas. Assim, você terá seu protótipo no celular e pode passar para o próximo passo: validar sua ideia.

 

prototipo-design-thinking

 

5- Validação

15 minutos

Com o aplicativo em mãos, o próximo passo é sair da sala e perguntar para outras pessoas o que elas acham do seu protótipo. Conte sua ideia e entregue o celular na mão da pessoa. Deixe que ela navegue pela aplicação, veja as reações dela, quais dúvidas ela tem, peça sugestões de melhoria e anote tudo. Seja aberto e receptivo, não rebata as ideias que ouvir. Quanto mais feedbacks você receber, melhor. É assim que você vai evoluir o seu protótipo e chegar em uma solução que as pessoas realmente precisam e vão utilizar.

Não tenha medo de compartilhar sua ideia. Costumamos dizer que uma ideia vale seis centavos, outras pessoas no mundo todo estão tendo ideias como as suas e implementando, o que vai te diferenciar é entender o que as pessoas realmente precisam e aprimorar seu produto com foco nelas. O mais importante é que você seja o último a desenvolver algo, não o primeiro. Quando o Facebook foi lançado, já existiam várias outras redes sociais: Orkut, Fotolog, Friendster, MySpace, entre outras. Mas o Facebook foi quem criou o melhor produto e está aí até hoje. Por isso, compartilhe sua ideia sem receio, aprenda com as pessoas e torne seu produto melhor a cada feedback.

 

6 – Aprimoramento

10 minutos

Após a validação, vocês voltam para a sala e aprimoram seu protótipo. Podem fazer novos desenhos, usar o POP e validar novamente. Esse processo pode ser repetido quantas vezes acharem necessário. Quanto mais vocês conhecerem seus usuários e aprimorarem seu produto, mais chances terão de atingir bons resultados. No entanto, é essencial trabalhar com o conceito de MVP (Mínimo Produto Viável). Ou seja, em pouco tempo vocês entregam a versão mais simples do seu produto, a essência da ferramenta. Com o produto no mercado, podem testar com usuários reais, definir pontos de melhoria e conseguir receita. A partir de então, com metodologias ágeis e sprints vocês melhoram o produto a cada versão.

 

 

Já testamos esse passo a passo em diversos projetos, aprimoramos e hoje ele está assim. Se você quiser adaptá-lo, sugerir melhorias, fica a vontade! É só deixar um comentário e conversamos mais, toda ideia é bem-vinda.

 

Para se aprofundar mais:

O Felipe Barreiros fez uma série de vídeos explicando esse passo a passo para o Desafio MasterTech, está tudo no youtube para você assistir.

Tem um workshop de Design Thinking: Uma nova mentalidade para resolver problemas em São Paulo dia 05/12.

No Bootcamp de Tecnologia Emergentes você aprende Design Thinking na prática, aplicando em projetos com novas tecnologias: Internet das Coisas, Programação Back-end, Front-end, Desenvolvimento de Aplicativos, Inteligência Artificial, Impressão 3d e muito mais.

Uma nova jornada de Design Thinking
5 (100%) - 1 voto
Você pode também gostar