Aperte "enter" para ver os resultados ou "esc" para cancelar.

Storyboard: não entendeu, quer que eu desenhe?

Se comunicar é difícil e discutir é ainda mais. Segundo dados de pesquisa, nós provavelmente somos muito menos efetivos na comunicação do que imaginamos, até 20x menos. Em 1990, um pesquisador de Stanford fez um experimento onde uma das partes dava leves batidas representando uma música simples e a outra parte deveria interpretar de que música se tratava.

 

A primeira pessoa achava que seu ouvinte tinha entendido a música 50% das vezes, quando na verdade apenas 2,5% conseguia entender. Diferente de batidas rítmicas, storyboards nos tornam inerentemente melhores comunicadores.

 

Como um escritor, você deve estar constantemente tentando ser um melhor storyteller. Como um programador, uma importante habilidade é conseguir pensar de forma lógica e sequencial. Para UX e outras atividades do design, a importância de uma forte comunicação visual anda lado a lado com as tarefas.

 

As vantagens de saber como fazer um storyboard

 

O processo de storyboard aperfeiçoa suas habilidades de comunicação em três frentes:

 

  • É narrativo, ajudando a contar uma história;
  • É sequencial, ajudando a encaminhar através de ideias complexas;
  • É visual, ajudando a engajar mais a audiência.

 

A Disney é citada como o primeiro exemplo de produção de storyboard na forma moderna que conhecemos, pela forma como os criadores organizaram o conto dos Três Porquinhos.

 

storyboard

 

Antes disso, todos sentavam em uma sala e torciam para tudo o que tinham desenhado se encaixasse no final. Esse elemento de praticidade é um dos objetivos do storyboard, o outro é a liberdade criativa. A prática do storyboard faz um bom trabalho balanceando tudo isso.

 

Como fazer um storyboard

 

Se você trabalha com vendas, marketing, design, entretenimento, gestão, basicamente qualquer área que envolva explicação ou discussão de ideias, o storyboard vai te ajudar a criar uma estrutura mais efetiva para comunicar suas ideias. Uma boa forma de começar é escolhendo um modelo de storyboard para o que você planeja contar. Abaixo estão três exemplos:

 

1. O storyboard do antes e depois

 

Você está pensando em construir algum produto, aplicação ou implementar um novo processo? Por quê? Como isso vai fazer a vida de seus consumidores melhor? Para quem esse produto será feito? O storyboard do antes e depois é ideal para tornar essas respostas mais vívidas, mais ativas e fáceis de discutir.

 

 

2. Storyboard da jornada do consumidor

 

Como você pega alguém que nunca ouviu falar de seu produto e transforma essa pessoa em um propagador de sua ideia? Nós tendemos a focar nos pontos mais altos que achamos serem óbvios e perdemos a chance de destacar os detalhes que se tornam fundamentais para conseguir consumidores.

 

O storyboard é uma forma de pensar na jornada do consumidor de forma sequencial, garantindo que todos os pontos serão conectados até a venda. Uma das formas de definir a jornada do consumidor é pela ordem: atenção, interesse, desejo, ação e retenção. Use um painel por item e crie mais de uma alternativa para sua jornada para enriquecer a discussão.

 

 

3. Storyboard para métodos ágeis

 

Se você trabalha com desenvolvimento de software, provavelmente já ouviu falar sobre métodos ágeis. Trabalhar com agile é uma ótima forma de construir um produto, mas como você mantém histórias dos usuários que são contribuições críticas? Como certificar de que representam fatos reais dos interesses das pessoas?

 

A resposta é storyboard! É interessante registrar eventos de usuários a partir de desenhos para dar atenção aos detalhes dos testes realizados. Isso torna as histórias mais reais e legíveis para se tornarem ações concretas no produto.

 

Pronto para executar o storyboard? Mergulhe no universo de UX e aprenda todos os principais conceitos desse mercado com a live gratuita de UX design acessando aqui!

 

 

Avalie esse post