Aperte "enter" para ver os resultados ou "esc" para cancelar.

O que é big data? E como o UX design pode dar sentido à analise de dados

Big data é exatamente aquilo que o nome diz: uma quantidade tão gigantesca de dados que não podem ser processados por métodos convencionais. Entretanto, assim que esses dados são processados, a experiência do usuário cumpre seu importantíssimo papel de fazer sentido neles para gerar soluções centradas no usuário.

 

A experiência do usuário, ou UX, é a ponte entre a análise de big data e o usuário final. A riqueza da big data coletada por diversos tipos de empresas e organizações abriu um tesouro de informações a serem exploradas por ux designers, que podem agora criar soluções mais robustas e efetivas.

 

O que é big data? 

 

O conceito de big data ganhou força no início dos anos 2000, quando um analista famoso deste setor, Doug Laney, articulou a definição de big data como os três V’s:

 

Volume: As organizações coletam cada vez mais dados de uma grande variedade de fontes, incluindo transações comerciais, redes sociais e informações de sensores ou dados transmitidos de máquina a máquina.

Velocidade: Os dados fluem em uma velocidade sem precedentes e devem ser tratados em tempo hábil. Tags de RFID, sensores, celulares e contadores inteligentes estão impulsionado a necessidade de lidar com imensas quantidades de dados em tempo real, ou quase real.

Variedade: Os dados são gerados em todos os tipos de formatos, de dados estruturados, dados numéricos em bancos de dados tradicionais, até documentos de texto não estruturados, e-mail, vídeo, áudio, dados de cotações da bolsa e transações financeiras.

 

Mas o importante não é exatamente a quantidade, variedade ou velocidade de dados, e sim o que as empresas fazem com os dados. O Big Data pode ser analisado para a obtenção de insights que levam a melhores decisões e direções estratégicas de negócio. Para isso nasceu o conceito de big data analytics.

 

Big data analytics

 

O big data analytics é uma ferramenta de apoio estratégico. O objetivo é simples: melhorar seus processos de trabalho e adquirir insights valiosos acerca das tendências de mercado, comportamento dos consumidores e suas expectativas. Todos esses indicativos representam para as empresas e projetos a possibilidade de tomar decisões mais precisas e antecipadas a concorrência. Decisões que, em um cenário de extrema competitividade, podem ser o divisor entre o sucesso e a estagnação do negócio.

 

Esse é o trabalho analítico e inteligente de grandes volumes de dados, estruturados ou não-estruturados, que são coletados, armazenados e interpretados por softwares. O cruzamento de uma infinidade de dados do ambiente interno e externo, gera uma espécie de bússola para facilitar a tomada de decisão.

 

Big data e UX juntos:

 

Quando juntamos o big data, o big data analytics e o UX design, grandes conclusões podem ser tomadas. Isso porque o UX design utiliza a interpretação de dados como base para o entendimento de seus públicos e a criação de interfaces que conversem diretamente com eles. Ou seja, big data e UX juntos:

 

Desenvolvem melhores produtos

 

De nada adianta coletar informações se esses dados não serão interpretados de alguma forma. UX e big data juntos são o par perfeito exatamente por esse motivo: junte um profissional que tem experiência em interpretar dados de pesquisa com o maior banco de dados do mundo e você terá resultados incríveis.

 

Ajudam a prever as necessidades do usuário

 

Quem mais tem a falar sobre o seu produto são as pessoas para quem ele foi feito. Mas quando se trabalha com um mercado competitivo, é essencial estar à frente de seu tempo, prevendo as necessidades dos usuários para lançar um produto o mais próximo possível daquilo que eles precisam.

 

Por meio da big data o profissional de UX pode analisar comportamentos de clientes atuais e prospecções para testar os cenários que mais se aproximam daquilo que eles estão buscando (ou que nem sabem que precisam, mas demonstram a necessidade a partir de ações).

 

Facilitam a visualização de dados

 

É muito bonito sair por aí dizendo que se trabalha com big data, que possui ferramentas incríveis e robustas para a compilação de informações ou para testes. A parte difícil está em saber utilizar tudo isso, em compreender cada um dos resultados apresentados pelas plataformas.

 

Ainda bem que UX design entende tão bem de interface, hierarquia, organização de informações a ponto de fazer com que uma infinidade de informações sejam usadas com propósito. E como eles fazem isso? A partir de conhecimentos de arquitetura da informação, navegação e usabilidade, por exemplo.

 

Ficou interessado em saber fazer sentido da big data tanto quanto um UX designer? Tem live de UX gratuita rolando na Mastertech! É só clicar aqui para se inscrever na live e receber o conteúdo de UX! 😉

 

 

5 (100%) - 1 voto