5 minutos de leitura

Nós já estamos cansados de saber da importância e a necessidade de termos mais bons programadores atuando pelo mundo. Segundo o IDC, o Brasil é o 4º maior centro de TI do mundo, ficando atrás apenas de Estados Unidos, China e Japão. Esse é o segmento brasileiro que mais cresce, entretanto, o déficit de pessoal na área de Tecnologia da Informação (TI) é de cerca de 40 mil profissionais de acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom).

 

Além das barreiras que foram criadas em torno do aprendizado de programação, é muito comum encontrar pessoas que já estão nesse caminho e não conseguem decidir uma carreira em TI. Para ajudar nessa decisão, abaixo você vai ver um guia de carreira em TI com especificações de seis caminhos que você pode escolher para gerar transformações dentro da tecnologia. Bora?

 

guia de carreira

 

Analista de requisitos

 

O analista de requisitos faz o levantamento e análise de todas as informações de sistemas, aplicativos, páginas na web, ferramentas ou recursos mobile para a realização de um projeto, como o desenvolvimento de um software, por exemplo.

 

Junto com o analista de testes e o gerente de projetos, esse profissional garante que todas as especificações necessárias para uma ação serão preparadas antes de começar o desenvolvimento, reduzindo riscos e otimizando processos. Para isso, é preciso ter um conhecimento de linguagens de programação como C#, Java e desenvolvimento mobile, além de compreender lógica de programação, modelagem de dados, arquitetura de serviços, APIs, banco de dados e documentação.

 

O mercado para esse tipo de profissional ainda precisa amadurecer, mas a tendência é que ele se torne cada vez mais necessário para evitar prejuízos nos projetos. O analista de requisitos tem uma média salarial de R$ 3.000 a 5.000 para profissionais de nível pleno.

 

Analista de sistemas

 

Esse profissional tão conhecido na área de TI é o responsável pelo gerenciamento de toda a tecnologia da informação de uma empresa. É o analista de sistemas que estuda as melhores formas de processar informações em qualquer ambiente, desenvolvendo soluções para as necessidades e problemas existentes.

 

Para ser um analista de sistemas é preciso entender de desenvolvimento de software, infraestrutura e gerenciamento da informação. Dentro disso está a capacidade para resolver problemas complexos, raciocínio lógico, organização, conhecimento avançado de banco de dados e lógica de programação.

 

Esse é um dos profissionais mais requisitados dentro do mercado de TI, sendo procurado em empresas de diversos setores. O salário de um analista de sistemas varia de R$ 1.500 para profissionais júnior até R$ 7.000 para nível sênior.

 

Analista de suporte

 

Sabe aquele momento em que tudo dá errado? Essa é a hora de brilhar para o analista de suporte. Responsável pelo atendimento de usuários, identificação e registro de problemas, este profissional faz testes, atualiza sistemas, corrige bugs, faz a migração de computadores e usuários, elabora documentos e implanta processos.

 

As principais habilidades necessárias para isso são conhecimentos de linguagens ou sistemas operacionais, sendo os mais comuns: SQL, C#, Javascript, Windows, Mac, Linux e Pacote Office. Além disso, é preciso ter noções de redes, backups, otimização de recursos e lógica de programação avançada. A faixa salarial desse profissional varia de R$ 1.500 a R$ 3.000 para nível júnior e pleno, podendo chegar a R$ 4.500 nos cargos sênior.

 

Analista de testes

 

Todos os produtos digitais que utilizamos são testados mais de uma vez antes de chegarem até nós. O analista de testes é responsável por essa avaliação de softwares, sites, aplicativos, jogos, ferramentas ou qualquer outra plataforma. Sua tarefa é elaborar planos de testes para identificar erros e defeitos no código, apresentando melhorias para a equipe.

 

Ou seja, para ser um analista de testes é preciso prestar atenção aos detalhes, ter conhecimentos básicos de HTML e banco de dados SQL, além de linguagens de programação relacionadas ao ambiente em que estará atuando. A demanda por profissionais com esses conhecimentos cresce tanto quanto por desenvolvedores e os salários variam de R$ 2.500 até R$ 9.000 para profissionais sênior.

 

Arquiteto da informação

 

O arquiteto da informação, como o nome diz, tem uma função parecida com o arquiteto de imóveis, ou seja, ele é responsável por projetar, supervisionar e executar sites, aplicativos ou sistemas. Para que boas experiências aconteçam aos usuários, as plataformas precisam ser organizadas da melhor forma possível. Junto ao UX designer, o arquiteto da informação cria wireframes, sitemaps, personas e pesquisas que auxiliam no desenvolvimento das necessidades do usuário.

 

Um bom arquiteto da informação consegue enxergar padrões em grandes quantidades de informação a partir de conhecimentos de pesquisa, SEO, análise de dados e lógica. Apesar de não serem obrigatórios conhecimentos em programação, o AI atua junto com desenvolvedores o tempo todo. A faixa salarial desta função varia de R$ 2.000 para profissionais júnior até R$ 9.000 para sênior.

 

Desenvolvedor e Operações (DevOps)

 

A integração entre as equipes de desenvolvimento de software e operações de TI aconteceu com a criação do cargo de DevOps. Esse profissional é responsável por otimizar a produtividade dos projetos desde a ideação até o feedback final. Sua tarefa é facilitar a comunicação, colaboração e integração das equipes para padronizar processos e aumentar a velocidade de implementação de novidades.

 

Como o DevOps atua em duas frentes, sistemas e infraestruturas, ele precisa estar ligado em habilidades de gestão para o planejamento, desenvolvimento, automação e serviço, além de ter conhecimentos aprofundados em sistemas operacionais, metodologias ágeis e linguagens de desenvolvimento de software. Sua faixa salarial vai de R$ 2.500 até R$ 6.000, sendo que pode chegar a R$ 15.000 para profissionais sênior em multinacionais ou empresas de grande porte.

 

Lembrando que escolher entre uma ou outra carreira em TI não é uma decisão definitiva: com o aprendizado em tecnologia é possível testar diversos caminhos possíveis até encontrar o que mais se encaixa com o seu perfil e seus desejos de futuro. Basta ter coragem e começar a praticar! Tem final de semana de programação chegando na Mastertech para testar se é na tecnologia mesmo que você quer construir sua carreira, vem conhecer aqui!

 

 

Guia de carreira em TI: habilidades, mercado e salário para facilitar sua escolha
Avalie esse post
Você pode também gostar